quarta-feira, outubro 31, 2007

muita parra para pouca uva


Um professor da Faculdade de Direito de Lisboa perguntou a um dos seus alunos:
- Laurentino, se você quiser dar uma laranja a uma pessoa chamada Sebastião, o que deverá dizer?
O estudante respondeu:
- Aqui está, Sebastião, uma laranja para si.

O professor gritou, furioso:
- Não! Não! Pense como um Profissional de Direito!

O estudante pensou um pouco e então respondeu:

- Está bem, eu refaço o que diria: Eu, Laurentino Marcos Rosa Sentado, Advogado, por meio desta dou e concedo a você, Sebastião Lingrinhas, BI 6543254, NIF 50829092, morador na Rua do Alecrim, 32, A, do concelho de Vila Nova de Gaia, casado, com dois filhos e um enteado, e somente a você, a propriedade plena e exclusiva, inclusive benefícios futuros, direitos, reivindicações e outros títulos, obrigações e vantagens no que concerne à fruta denominada laranja, juntamente com sua casca, sumo, polpa e sementes transferindo-lhe todos os direitos e vantagens necessários para espremer, morder, cortar, congelar, triturar ou descascar com a utilização de quaisquer objectos ou de outra forma comer, tomar ou ingerir a referida laranja, ou cedê-la com ou sem casca, sumo, polpa ou sementes, e qualquer decisão contrária, passada ou futura, em qualquer petição, ou petições, ou em instrumentos de qualquer outra natureza ou tipo, fiscal ou comercial, fica assim sem nenhum efeito no mundo cítrico e jurídico, valendo este acto entre as partes, seus herdeiros e sucessores, com carácter irrevogável, declarando Sebastião Lingrinhas que o aceita em todos os seus termos e condições conhecendo perfeitamente o sabor da laranja, não se aplicando, neste caso, o disposto no Código do Consumidor, cláusula 28, alínea b, com a modificação dada pelo DL 342/08 de 1979.

E o professor então comenta:
- MELHOROU BASTANTE, MAS NÃO SEJA TÃO SUCINTO.
.
Do mê Xico (obrigada)

bom fim de semana XL

girlografia

Dubai
Londres

Paris
.
por Dima & Marina Design Group,
um misto de fotografia, colagem, pintura e desenho

o medo causado pela inteligência


Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetas políticas.
O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal:
-"Meu jovem, você cometeu um grande erro.
Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa. Isso é imperdoável !
Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco.
Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento assusta".
Ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pôde dar ao pupilo que se iniciava numa carreira difícil.
Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa:
"Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que, às vezes, fico pensando que a burrice é uma Ciência".
A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência.
Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições.
Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder.
Mas, é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar.
Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpugnáveis às legiões dos lúcidos.
Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do "Elogio da Loucura", de Erasmo de Roterdan, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir de burra, se quiser vencer na vida.
É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social.
Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota, automaticamente, a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres se fecham como ostras, à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar.
Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas...
Enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender.
É um paradoxo angustiante !
Infelizmente, temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida.
Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues...
"Finge-te de idiota, e terás o céu e a terra".
O problema é que os inteligentes gostam de brilhar! Que Deus os proteja, então, dos medíocres!...

a casa-útero (Atelier van Lieshout)

- Fresquinha, onde andas ?
- Estou no ovário direito ....
.
.
Design contre Design Deux siècles de créations
Galerie nationale du Grand Palais
de 26 de setembro 2007 a 7 janeiro 2008
todos os dias excepto terças.
Conferências todas as 4ªs à noite.
Catálogo de 372 páginas 59 euros.

casas assombradas

Negócio e superstição dão alma a casas assombradas
.
Cinco a 25 mil euros: é esta a redução de preço que uma casa pode ter no mercado se for assombrada. Dito por outras palavras, as de Sérgio Razente, psicólogo que se dedicou a estudar as percepções do paranormal e da religião em Portugal, "há muita matéria judicial dentro do fenómeno mais vasto das casas ditas assombradas, casos de fraude com um objectivo claro". Mas também existem representações colectivas genuínas, "fenómenos psicossociais de superstição que abrangem toda uma comunidade". Movem-se objectos, acendem-se luzes, pessoas e animais experimentam alterações de comportamento, equipamentos electrónicos deixam de funcionar. Em Portugal, o espaço ocupado pela religiosidade parece não ter deixado muito espaço ao simbolismo mágico das casas assombradas: apenas 27% da população assume já ter assistido a um fenómeno do género.Para o especialista em psicologia social, que chefiou um projecto de investigação no já extinto Observatório de Fenómenos Paranormais da Universidade do Minho, "essa percentagem de crédito no fenómeno é muito baixa, quando comparada com outros países". Mas a percepção do sobrenatural, da presença de espíritos, existe, ligada a edifícios "quase sempre recentes, com meio século de existência" - e com particular incidência no Norte de Portugal. Tal como existe toda uma rede de serviços associada às casas assombradas, com parapsicólogas e tarólogas a efectuar tratamentos e limpezas de forças negativas. Estas forças não se restringem a edifícios de habitação e flagelam restaurantes, bares e até oficinas de automóveis. Os padres são, muitas vezes, os primeiros a encaminhar os ansiosos proprietários para estes profissionais.Neste país a meia luz, envergonhado com o sobrenatural que pressente, 33% da população revela já ter testemunhado um fenómeno de psicocinética - movimento de objectos sem causa aparente, associado ao poder da mente ou a uma força sobrenatural. De acordo com o estudo realizado por Sérgio Razente em 2004, patrocinado pela Fundação Bial, 35% acreditam que é possível contactar com os espíritos de pessoas que já faleceram, e 39% crêem na vida depois da morte. Actualmente a residir em Londres, onde prossegue estudos na área, o psicólogo salienta a definição de casa assombrada a que chegou: "Um fenómeno de superstição de origem individual, com variáveis psicológicas, que se desenvolve colectivamente - primeiro na família e depois na comunidade -, associado a um determinado edifício."Isto é, claro, a percepção que interessa à psicologia, e que inclui os tais barulhos, luzes, deslocação de objectos, vislumbres de figuras espectrais. Reconhece-se e valida-se o paradigma, a sugestão. Na opinião de Sérgio Razente, a apropriação colectiva do mito é fundamental, sem ela não existe fenómeno. Frequentes são também as psicopatologias individuais que provocam alucinações, efabulações ou fraudes, que podem ter como objectivo a tal desvalorização imobiliária, um qualquer conflito com o residente na casa ou uma simples chamada de atenção.Se, até agora, "a religiosidade refreou a imaginação popular em Portugal - a diferença entre milagre e fenómeno paranormal é só uma questão de semântica", o psicólogo acredita que haverá agora um regresso "a um certo animismo do mundo físico, a outra nomeação, ao abandono do mito do demónio". A casa que mais o impressionou o especialista, quando andou no terreno, ficava perto de Valongo, no Norte, e "foi habitada por quatro famílias que relataram sempre os mesmos fenómenos - e algumas eram muito cépticas". Os objectos moviam-se, sucediam-se ruídos misteriosos, cães e gatos tornavam-se agressivos, os carros avariavam, as máquinas fotográficas explodiam. As próprias pessoas sofriam alterações de comportamento, "ficavam nervosas e irascíveis, tinham alucinações". Só faltava a identificação de uma entidade espectral para o quadro ficar completo, de resto "o símbolo e o signo coincidiam em tudo". Sérgio Razente diz ter presenciado algumas dessas manifestações. "Havia ali uma força, uma coincidência", admite, "mas isso não interessa à psicologia, à estrutura de análise que utilizei."
.
Autora: Maria José Margarido
.
.
Conheçam algumas verdadeiramente assombradas pelo mundo fora, aqui.

a noite dos demónios


clica na imagem e AQUI
.

os pássaros na era das electrónicas






viver mundo: veneza




Que C'est Triste Venise
>> Charles Aznavour


Que c'est triste Venise
Au temps des amours mortes
Que c'est triste Venise
Quand on ne s'aime plus
On cherche encore des mots
Mais l'ennui les emporte
On voudrait bien pleurer
Mais on ne le peut plus
Que c'est triste Venise
Lorsque les barcaroles
Ne viennent souligner
que les silences creux
Et que le coeur se serre
En voyant les gondolles
Abriter le bonheur
des couples amoureux
Que c'est triste Venise
Au temps des amours mortes
Que c'est triste Venise
Quand on ne s'aime plus
Les musées, les églises
Ouvrent enfin leurs portes
Inutile beauté
Davant nos yeux déçus
Que c'est triste Venise
Le soir sur la lagune
Quand on cherche une main
Que l'on ne vous tend pas
Et que l'on ironise
Devant le clair de lune
Pour tenter d'oublier
Ce que l'on ne se dit pas
Adieu tous les pigeons
Qui nous ont fait escorte
Adieu Pont des Soupirs
Adieu rêves perdus
C'est trop triste Venise
Au temps des amours mortes
C'est trop triste Venise
Quand on ne s'aime plus
.

gesto de amor

video

Um gesto do Chic-o !

terça-feira, outubro 30, 2007

webchat com andy warhol

casas com vista














fotografia em radiografia


.

uma das melhores letras de sempre




YOU'RE SO VAIN (clica no título)


You walked into the party
Like you were walking onto a yacht
Your hat strategically dipped below one eye
Your scarf, it was apricot
You had one eye in the mirror as
You watched yourself gavotte
And all the girls dreamed that they'd be your partner
They'd be your partner, and...
You're so vain
You probably think this song is about you
You're so vainI'll bet you think this song is about you
Don't you? Don't you?
You had me several years ago
When I was still quite naive
Well you said that we made such a pretty pair
And that you would never leave
But you gave away the things you loved
And one of them was meI had some dreams,
They were clouds in my coffee
Clouds in my coffee, and...
You're so vainYou probably think this song is about you
You're so vain
I'll bet you think this song is about you
Don't you? Don't you?
I had some dreams,
They were clouds in my coffee
Clouds in my coffee, and...
Well I hear you went up to Saratoga
And your horse naturally won
Then you flew your
Lear jet up to Nova Scotia
To see the total eclipse of the sun
Well you're where you should be all the time
And when you're not you're with
Some underworld spy or the wife of a close friend
Wife of a close friend, and...
You're so vain
You probably think this song is about you
You're so vain
I'll bet you think this song is about you
Don't you? Don't you?

beirut

clica na imagem

gostos não se discutem


Num banquete, estava um padre católico sentado ao lado de um rabino judeu.
O padre, querendo gozar o rabino, enche o prato com pedaços de um suculento leitão e depois oferece para o "colega".
O rabino recusa, dizendo:
- Muito obrigado, mas...não sabe que a minha religião não permite a carne de porco!
- Noooossa! Que religião esquisita! Comer leitão é uma delííícia! - comenta o padre com ironia.
Na hora da despedida, o rabino chega e diz para o padre:
- Mande minhas recomendações a sua mulher! E o padre, horrorizado:
- Minha mulher? Não sabe que a minha religião não permite casamento de sacerdotes?
- Noooossa! Que religião esquisita! Comer mulher é uma delííícia!!!.... mas se você prefere leitão....!!!

o Soweto hoje, depois do levante contra o Apartheid

segunda-feira, outubro 29, 2007

depressões












porque gosto de cães




priapus

.
O pénis gigante foi incorporado pelos deuses da fertilidade, sendo um grande exemplo o do deus Priapus.
Citação: “Este deus é sobretudo conhecido pelo seu membro viril de grandes proporções, e o seu tamanho enorme é de tal forma gigantesco que tem sido denominado "coluna", "cipreste", "lança", "pirâmide", e muitos outros nomes do género. E, tal como Zeus mostra o seu raio, Poseidon o seu tridente, Atena a sua lança, ... Também Priapus não pode deixar de mostrar com todo o orgulho o que melhor o representa ou seja, o seu pénis, porquer sem ele, estaria totalmente desarmado. Esta é a razão pela qual as suas partes privadas estão sempre dispostas em erecção, sem qualquer pudor." - Carlos Parada, Greek Mythology Link.
.
A ideia, contudo, de que este pénis gigante, em particular, está tão prontamente exposto como um item inspiracional, ou com o objectivo de promover algum erotismo, não podia estar mais longe da verdade.



Em Roma, as estátuas de Priapus eram usadas como espantalhos, para guardar as vinhas e os jardins, e portanto o seu simbolismo não tinha absolutamente nada a haver com o prazer sexual. À parte da correlação comum no mundo antigo entre a fertilidade do homem e a fertilidade do solo, estas estátuas foram criadas para protecção contra roubos, sendo que a mensagem era a de que se alguém trespassásse as terras, seria penetrado profunda, brutal e dolorosamente pelas ditas "armas" nos seus traseiros.
Os epígramas romanos seguintes (extraídos do livro Priapeia de Smithers & Burton) ilustram esta atitude nos termos certos:
“... If I do seize you ... you shall be so stretched that you will think your anus never had any wrinkles.”
“Why do you, watchman, hinder the thief from coming to me? Let him approach: he will return more ‘open’!”
“He who shall plunder with dishonest hand the little field committed to my charge, shall feel me to be no eunuch ...”
"If a woman, man, or boy, thieve from me, she shall pay me with coynte, that with his mouth, this with arse.”
.
Mais

orbo : gerador de energia do nada

No ano passado, o mundo ficou intrigado com uma pequena empresa irlandesa chamada Steorn, que dizia ter inventado um gerador que produzia energia a partir do nada.
É um sonho milenar: uma máquina que funcionasse para sempre e de graça. A proposta tem o grave problema de violar leis básicas da física, o que não impediu que vários cientistas e matemáticos - muitos deles de renome, como Leonardo da Vinci e James Clerk Maxwell - propusessem máquinas assim, ao longo da história. Nenhum deles teve sucesso, o que pode ser comprovado pelo fato de você ainda ter que levar o seu carro ao posto de tempos em tempos.
Mas a proposta da Steorn foi mais audaciosa. Em agosto de 2006, a empresa publicou um anúncio na revista inglesa The Economist recrutando cientistas para verificar se o seu gerador perpétuo de facto funcionava. Todo mundo pensou que era um jogo online - algo tipo um Alternate Reality Game - ou uma manobra de marketing, mas não era: a empresa existe há vários anos e levou adiante as pesquisas com sua tecnologia.
Desde então, tem dito que seu produto funciona e que até já tem um nome para ele: Orbo. É uma grande notícia. Se eles estiverem errados, serão uma das grandes piadas do ano. Se estiverem certos, pode ser a solução para o aquecimento global, para as guerras pelo petróleo, para amenizar a pobreza e vai mudar quase tudo o que conhecemos. Pense numa incrível e ampliada terceira revolução industrial.

paciência ...






donato giancola

pedradas

clica na imagem

domingo, outubro 28, 2007

livros fritos






uma fábula diferente


Era uma vez uma Formiga e uma Cigarra que eram muito amigas.............
.
Durante todo o Outono a Formiga trabalhou sem parar, armazenando comida para o Inverno.
.

Não aproveitou o sol, a brisa suave do fim da tarde, nem duma conversa com os amigos a tomar uma cervejinha depois do dia de trabalho.
.

Enquanto isso, a Cigarra só andava a cantar com os amigos nos bares da cidade, não desperdiçou nem um minuto sequer, cantou durante todo o Outono, dançou, aproveitou o sol, disfrutou muito sem se preocupar com o mau tempo que estava para vir.
.

Passados uns dias começou o frio, a Formiguita, exausta de tanto trabalhar meteu-se na sua pobre guarida cheia de comida até ao tecto.
.

Mas, alguém a chamou da rua e quando abriu a porta teve uma surpresa quando viu a sua amiga Cigarra num Ferrari e com um valioso casaco de peles.
.

A Cigarra disse-lhe:
-Olá amiga! Vou passar o Inverno a Paris. Podes cuidar da minha casita?
.

A Formiga respondeu:
- Claro! Sem problemas. Mas o que aconteceu? Onde conseguiste o dinheiro para ir a Paris, comprar este Ferrari, e esse casaco tão bonito e caro?
.

E a Cigarra respondeu:
-Imagina lá, que eu estava a cantar num bar a semana passada e umprodutor gustou da minha voz.. Assinei um contrato para fazer shows em Paris. A propósito, precisas de alguma coisa de lá?
.

Sim, - disse a Formiga.Se te encontrares com La Fontaine(autor da fábula original), MANDA-O À MERDA, DA MINHA PARTE.
.
Do Chic-o

into the blue






o outono

o porta-plumas

crucificação anatómica


A prova de que um corpo crucifificado, patente em inúmeras obras de arte e publicações,
estão anatómicamente incorrectas. Aqui.

entreter o bébé durante a gravidez: uterton da Sony

lista do que levar para uma viagem


ao calhas





Um Spa no Pfister Hotel, Milhawkee, EUA

sábado, outubro 27, 2007

o mel e a canela



O MEL e a CANELA
.
Qual é o único alimento que não se estraga? - O mel de abelhas.
A mistura de Mel e Canela cura a maioria das doenças. O mel é produzido em quase todos os países do mundo. Apesar de ser doce, a ciência demonstrou que, tomado em doses normais como medicamento, o mel não faz mal aos diabéticos.
A revista "Weekly World New" do Canadá, na sua edição de 17 de Janeiro de 1995, publicou uma lista das doenças que são curadas pelo mel misturado com Canela.
.
DOENÇAS DO CORAÇÃO:
Faz uma pasta de mel com canela. Aplica no pão e come-o regularmente no café da manhã em vez de manteiga e/ou geleia. Reduz o colesterol nas artérias e previne problemas do coração. Também previne novos enfartes nas pessoas que já tiveram um antes.
O uso regular deste processo diminui a falta de ar e fortalece as batidas do coração.
Nos Estados Unidos e Canadá, utiliza-se esta pasta frequentemente nos asilos. Descobriu-se que o mel com canela revitaliza as artérias e veias dos pacientes idosos e as limpa.
PICADAS DE INSECTOS:
Mistura uma colherinha de mel, duas colherinhas de água morna e uma colherinha de canela em pó.
Faz uma pasta com os ingredientes e aplica suavemente sobre a picada.
A dor e a comichão desaparecerão em um ou dois minutos.
ARTRITE:
Misturar uma xícara de água quente com duas colheradas de mel e uma colherinha de canela em pó.
Numa pesquisa feita na Universidade de Kopenhagen os médicos deram aos seus pacientes diariamente, antes do café da manhã, uma colherada de mel e 1/2 colherinha de canela em pó. Numa semana, de 200 pacientes que seguiram o tratamento, 75 deixaram inteiramente de ter dores.
Um mês depois, todos os pacientes estavam livres da dor, mesmo aqueles que quase não conseguiam já caminhar.
PERDA DE CABELO:
Os que sofrem de calvície ou estão a perder o cabelo, podem aplicar uma pasta de azeite de oliveira, uma colherada de mel e uma colherinha de canela em pó, o mais quente que aguentarem, no couro cabeludo. Lavar apenas depois que tiverem passado 15 minutos. Foi comprovado que é eficiente mesmo deixando a pasta na cabeça somente durante 5 minutos.
INFECÇÕES DE RINS:
Um copo de água morna, misturada com duas colheres de canela em pó e uma colherada de mel, mata os germens que produzem infecções nos rins. Tomar de manhã e de tarde até que a infecção acabe.
DOR DE DENTES:
Fazer uma pasta com uma colherinha de canela e cinco colherinhas de mel e aplicar no dente que doi. Repetir pelo menos 3 vezes por dia.
COLESTEROL:
Duas colheradas de mel com três colherinhas de canela misturados em meio litro de água. Deve tomar-se 3 vezes por dia. Isto reduz o colesterol em 10% em 2 horas... Tomado diariamente elimina o colesterol completamente.
RESFRIADOS:
Para curar completamente sinusites, tosse crónica e resfriados comuns ou severos, misturar uma colherada de mel morna com 1/4 colher de canela em pó e tomar com frequência.
A mistura de mel com canela também alivia os gases no estômago, fortalece o sistema imunitário e alivia a indigestão.
VELHICE:
Também evita os estragos da idade quando se toma regularmente... Misturar 4 colheradas de mel, uma colher de canela e três xícaras de água. Ferver para fazer um chá com estes ingredientes e beber 1/4 de xícara, três ou quatro vezes por dia. Mantém a pele fresca e suave, e diminui os sintomas da idade avançada.
Beber este chá prolonga a vida e até uma pessoa de 100 anos pode melhorar muito e sentir-se como alguém muito mais jovem.
PERDA DE PESO:
Di ariamente, meia hora antes de deitar e meia hora antes do café da manhã, beber mel com canela fervido numa xícara de água. Bebido todos os dias, reduz o peso até de pessoas muito obesas.
DOR DE GARGANTA:
Tomar de quatro em quatro horas, uma colherada de mel misturada com meia colher de Vinagre de Sidra.