terça-feira, fevereiro 26, 2008

nostalgia do Kandanda



5 comentários:

kandanda disse...

sou um cidadão do mundo, Angola é apenas o meu berço. Dele tenho carinho nas minhas aluações e tomara que ela não fosse de ninguém para pertencer aos seus filhos!

fresquinha disse...

Era desse carinho que eu falava. Nostalgia e carinho passeiam-se de mãos dadas. Somos todos cidadãos do mundo. Temos passado, porque sem passado, não temos futuro. Filhos são todos aqueles que cuidaram, plantaram, cresceram com ela. Ela é de todos e não é de ninguém.

fresquinha disse...

Parir é Dôr, cuidar é Amor !

Bj
Vou dormir !

kandanda disse...

Todos quantos beberam água e Descalços sentiram a frescura da terra pura, embrulhados no cacimbo do regougar Descalços sentiram a frescura da terra pura, Descalços sentiram a frescura da terra pura, embrulhados no cacimbo do regougar da batucada sem cor que não é de olhos de meninos que por feito ou desvirtude pouco da política se perdiam porque outras traquinices lhes preenchiam a alma. Assim cresci nas matas dos Dembos, como não hei-de ter aluações? Nem quero fugir delas, qual ilha d’amores...são prazeres linfáticos.

fresquinha disse...

De um visitante do meu blog:

Love embraces all existence. But when they added that 'true love' is eternal they allowed the wisdom of love to blow away. There is just love. Neither true nor false. We can be in denial of it. But nothing else would hold the universe together. It is what holds time and space together in a constant, beautiful and playful illusion. It always will. Love is what will forever elude scientists from being able to define our existence. For love is a never ending equation that wraps itself around all of eternity. Bounding in and out of itself and constantly evolving. And will do forever. Love is the song of the universe.

Shekhar Kapur, ganhou um Óscar de melhor guarda-roupa no filme Golden Age.
http://www.shekharkapur.com/blog/