sexta-feira, março 21, 2008

noite santa


A prova de que um corpo crucifificado, patente em inúmeras obras de arte e publicações,
estão anatómicamente incorrectas. Aqui.



9 comentários:

João disse...

Lindo! Quem me dera navegar num sítio desses.
bjoca

Mano 69 disse...

E eu que comi carne....

fresquinha disse...

Herege !

fresquinha disse...

João,

Tirei a fotografia do barco mas prometo que voltarei a publicá-la. Esta é mais apropriada à ocasião. Bj

xico.lf disse...

Fresquinha,
Também comi carne!
Aliás (aliviar consciência ...), não comer carne ou não comer é uma recomendação ... li!!!

Xara disse...

Olá Fresquinha
Confesso que isto da abstinência de carne,me faz confusão, desde miuda.Se fosse a pessoa abster-se dum alimento que gosta muito eu percebia mas, porquê de carne?
Em tempos idos,quando havia grandes banquetes e se comia muito,o jejum e a abstinência seriam um apelo à moderação,mas agora?
Pois eu não comi carne,cumpri a tradição(!)mas uma bela cataplana de marisco!!!Assim não pequei...
Um grande beijinho.

fresquinha disse...

Trata-se duma tradição do século VII, fruto de determinado contexto histórico e cultural, que já nada tem a ver com a realidade dos nossos dias. Podemos imaginar o que significava o uso de carne na grande maioria dos países dessa época. Certamente que para a maioria do povo do século VII, a carne não era alimento do dia a dia. Comer carne era sinal de alegria, de refeição festiva, absolutamente em contradição com os sentimentos dos crentes na época em que Jesus morreu por nós.
Bj
E boa continuação da cataplana ! :-)

Xara disse...

Sabe que todos os dias aprendo coisas consigo?Obrigada!
Jinhos

fresquinha disse...

Não tem nada que agradecer, Xara.
E eu aprendo coisas todos os dias com as pessoas.
:-) Apenas canalizo informação.

Bjinhos