quarta-feira, novembro 07, 2007

se os olhos são o espelho das almas





descreve-as ...

Olhar habitação que acolhe o próximo que passava desabrigado ?
Olhar consciente que activa a reflexão humana? Olhar coisificado que manipula os homens como objectos ? Olhar libertador que retira o irmão do cativeiro moral? Olhar argentário que industrializa até os sentimentos humanos? Olhar decidido que busca a realização pessoal?
Que olhar ?
Olhar evasivo que evita o encontro com a realidade. Olhar pacifico que reconcilia as vidas separadas. Olhar reticente que fragmenta a confiança. Olhar de perdão que põe de pé a quem estava caído.
Olhar displicente que esquece a presença do outro ? Olhar compreensivo que apaga os rastos dos erros ?
.
Texto de "Estradeiro" de Juvenal Arduini

1 comentário:

xico.lf disse...

Fresquinha,
Desde ontem que tenho pensado nestes olhos ou pupilas e no texto que publicaste.
Sei que sou muito sensível aos olhos aos olhares às expressões da cara de que os olhos e os olhares são parte essencial, marcante!
Geralmente a minha apreciação é no momento intuitiva, gosto ou não, toca-me ou não, sensibiliza-me ou não, ..., mas não defino!
A apreciação marca-me e fica cá, é muito raro mudar, mesmo depois de pensar repensar ficou a impressão entrou, até porque sou assim com muitas "coisas", também e principalmente pessoas!
Como te descrever estes olhos?
Pois, não sei! Mesmo com o texto, não sou capaz, pelo menos para já, de os descrever de acordo com o texto ou de outro modo!
Sei que o primeiro e o terceiro são olhos e ou olhares claros limpos límpidos!...
Sorry ... estiquei-me!...
:-)